Better Plastics – Plásticos na Economia Circular

Em conversa com o COMPETE 2020, Modesto Araujo, Presidente da VIZELPAS, entidade promotora líder, falou do projeto Better Plastics e da importância dos Fundos Europeus:

Modesto Araújo | Presidente da VIZELPAS

“Numa primeira instância, gostaria de referir que o projeto Better Plastics surgiu de uma iniciativa da APIP – Associação Portuguesa da Indústria de Plásticos, enquanto entidade representativa do setor de plásticos em Portugal, com o propósito de mobilizar o setor e demais partes interessadas da cadeia de valor dos plásticos na criação de um verdadeiro ecossistema de inovação, que se assumisse como o motor na promoção e concretização dos objetivos da eficiência e gestão do recurso plástico, com o consequente alavancar do setor na promoção da circularidade e sustentabilidade deste material, cujas valências e propriedades têm contribuído de forma inequívoca para a melhoria das condições económicas, sociais e ambientais.

Estes eixos estratégicos encontram-se corporizados em quatro pilares principais, no qual o projeto Better Plastics está assente, e que configuram os seguintes PPS’s (Processos, Produtos e Serviços):

- A circularidade pelo design do material

- A circularidade pelo design de produto

- A circularidade pela reciclagem

- A circularidade pelas matérias-primas alternativas

De entre as 25 entidades que constituem o Consórcio do Projeto Better Plastics, a VIZELPAS foi selecionada como a entidade promotora líder deste projeto mobilizador. A este nível gostaria de salientar e reforçar a envolvência de diferentes elos da cadeia de valor dos plásticos, num projeto comum, pois entendo que só de uma forma integrada é possível construir os caminhos e soluções que se revelem as mais sustentáveis, onde a inovação e o desenvolvimento tecnológico são cruciais, assim como o saber-saber e o saber-fazer que os diversos parceiros poderão aportar na concretização dos objectivos deste projeto mobilizador que se pretende assumir como uma referência na área da economia circular.

Por último, de referir que sem o apoio do COMPETE 2020, a exequibilidade do Projeto Better Plastics poderia estar comprometida, não só pela dimensão, natureza, ambição e investimento que o projeto envolve.”


Enquadramento do Projeto

O plástico é um material importante e omnipresente na economia e na vida quotidiana, tendo múltiplas funções que ajudam a enfrentar uma série de desafios com que se depara a sociedade. No entanto, a forma como os plásticos são atualmente produzidos, utilizados e eliminados não permite, com demasiada frequência, captar os benefícios económicos de uma abordagem mais “circular” e introduz efeitos nefastos sobre o ambiente. Existe uma necessidade premente de combater os problemas ambientais que ensombram, atualmente, a produção, a utilização e o consumo de plásticos.

Repensar e melhorar o funcionamento de uma cadeia de valor tão complexa requer esforços e uma maior cooperação entre os seus principais intervenientes, dos produtores às empresas de reciclagem, aos retalhistas e aos consumidores. Exige, além disso, uma estratégia concertada de inovação e a visão partilhada para fomentar os investimentos no bom sentido.

Por outro lado, a indústria dos plásticos é muito importante para a economia europeia, e o reforço da sua sustentabilidade proporcionará novas oportunidades para a inovação, aumento competitividade e criação de empregos, em consonância com os objetivos da estratégia para a política industrial da União Europeia (UE).

Assim, e com base nestas premissas, a Comissão Europeia definiu, em janeiro de 2018, uma Estratégia Europeia para os Plásticos na Economia Circular, que se constitui como referencial para uma abordagem aos “desafios colocados pelos plásticos ao longo da cadeia de valor e que tenha em conta todo o seu ciclo de vida”.

O Projeto

Para assegurar a transição da Indústria Portuguesa dos Plásticos para a Economia Circular é fundamental promover novas estratégias de crescimento baseadas em Inovação e Investigação & Desenvolvimento que se encontrem orientadas para o desenvolvimento de novos produtos, processos/tecnologias e serviços, atuando ao longo de toda a nova cadeia de valor de forma a responder aos desafios com que o setor atualmente se depara.

Assim, surge o projeto Better Plastics, no sentido de desenvolver os meios tecnológicos e científicos necessários para promover uma diminuição da produção e do consumo de produtos plásticos descartáveis, uma produção mais sustentável (produtos biodegradáveis e recicláveis), aumentar o potencial de reciclagem e desenvolver alternativas aos produtos oxo-degradáveis.

O projeto pretende mobilizar o setor privado, juntamente com as autoridades nacionais, as universidades e os cidadãos. Através de esforços concertados, este projeto pretende transformar os desafios em oportunidades e dar o exemplo para uma ação decisiva a nível setorial em Portugal.

Para aproveitar esses ecossistemas, tornar os plásticos mais circulares e ajustar o seu ciclo de vida, será necessária uma simplificação de todos os processos e sistemas associados (modelos de negócio, design de produto).

O setor dos plásticos do futuro deverá ser sustentável, totalmente integrado, transparente e eficiente na utilização dos recursos e centrado no consumidor. O Better Plastics pretende dar resposta a estes desafios, contribuindo para o reforço da importância económica e social deste setor em Portugal.

O Programa Mobilizador Better Plastics visa assim abordar as principais necessidades de inovação e investigação necessárias para dar cumprimento à Estratégia Europeia para os Plásticos através de uma abordagem multifacetada em termos de circularidade.

Assim, fomentar-se-á uma indústria dos plásticos inteligente, inovadora e sustentável, em que a conceção e a produção respeitem as necessidades de reutilização, reparação e reciclagem. Adicionalmente, uma redução significativa das emissões de gases com efeito de estufa e a dependência dos combustíveis fósseis importados.

Para a persecução dos objetivos definidos no âmbito do projeto foi constituído um consórcio composto por 25 entidades: 16 promotores empresariais e 9 entidades não empresariais do sistema I&I.

O Apoio do COMPETE 2020

O projeto, promovido pela Vizelpas Flexible Films, S.A., conta com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do Sistemas de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (Programas Mobilizadores), envolvendo um investimento elegível de 6,3 milhões de euros o que resultou num incentivo FEDER de cerca de 3,8 milhões de euros.

01/06/2021 , Por Miguel Freitas
Portugal 2020
COMPETE 2020
Europa