NOGAM: Nova Unidade Industrial de Nozes

Em declarações ao COMPETE 2020, Tiago Costa, CEO Agribusiness SOGEPOC sintetizou o projeto e a importância do apoio dos fundos comunitários.
 
Tiago Costa | CEO Agribusiness SOGEPOC
 

1. Síntese 

 
A NOGAM é a mais recente unidade agroindustrial do grupo SOGEPOC, faz parte de um portfolio de várias empresas ligadas ao setor agrícola, tanto em Portugal como em Espanha e no Chile, com operações há mais de 60 anos, que permitiram adquirir uma vasta experiência na produção agrícola e na indústria de transformação de tomate.
 
 
Esta unidade, inserida num projeto mais vasto de Frutos Secos, está assente num modelo de integração vertical, que é constituído por três grandes áreas: agrícola, agroindustrial e comercial. Em termos agrícolas, é composto pelos pomares de nogueiras e amendoeiras, com áreas de aproximadamente 620 e 170 hectares, respetivamente, localizados nos perímetros de rega de Alqueva e Veiros.
 
 
Estima-se que, em velocidade de cruzeiro, a produção deve rondar as 4.000 toneladas por ano de noz com casca, a serem processadas e transformadas na unidade de produção da NOGAM.
 
 
A unidade de processamento foi dimensionada para dar resposta à produção dos pomares do grupo, tendo ainda capacidade para receber cerca de 2.000 toneladas de nozes de outros produtores nacionais, com o objetivo de potenciar e incentivar o crescimento da produção de nozes no país, tornando Portugal num player relevante no mercado europeu de frutos secos, e em particular de nozes.
 
 
A linha de processamento da noz em verde é uma atividade crítica na cadeia de valor da produção de nozes, que inclui a remoção da casca exterior verde, lavagem das nozes e secagem
 
 
Com esta unidade, cujo dimensionamento e nível tecnológico foram projetados por forma a garantir elevados padrões de qualidade do produto final, pretende-se ter a rastreabilidade desde a origem, baseada numa produção sustentável e próxima do consumidor.
 
O processo de colheita tem que estar muito bem integrado nas mencionadas operações de descasque, de lavagem e de secagem, que são operações fundamentais para que o produto possa ser vendido em excelentes condições. No entanto, tendo em conta que o mercado é extremamente sensível e exigente, tornou-se necessário avançar na cadeia de valor do processamento considerando as operações de calibragem e descasque, para retirada do miolo da noz, por forma a produzirmos produtos com elevado valor acrescentado, reforçando a nossa vantagem competitiva única, a de fornecermos produto fresco ao mercado europeu concorrendo com o miolo de noz importado dos EUA, evitando as perdas de qualidade inerentes ao lead time de cerca de 40 dias até chegada ao consumidor europeu.
A fábrica conta ainda com uma área considerável de armazenamento para produto final e intermédio, com condições ótimas de temperatura e humidade.
 
 
Os objetivos subjacentes a este projeto prendem-se com a vontade do grupo SOGEPOC de avançar na cadeira de valor, incorporando o processamento industrial da produção agrícola de nozes em Portugal, criando produtos inovadores e de maior valor acrescentado, com potencial de exportação para os mercados europeus mais exigentes. Devendo a exportação para estes novos mercados, nomeadamente aqueles que se destacam como os maiores consumidores mundiais de Frutos Secos, ter um peso significativo nas vendas totais de frutos secos do grupo.
 
 
Outro fator importante de motivação inerente a este projeto é a oportunidade de criar valor, tanto social como económico, para o país e em particular para a região de interior onde implementámos esta unidade agroindustrial. Esse impacto é assinalado através da criação de aproximadamente 100 postos de trabalho (diretos e indiretos), dos quais mais do que 30% são qualificados, bem como indiretamente pela atividade económica gerada localmente pela quantidade de pessoas que envolvem o projeto, tais como: colaboradores, fornecedores, clientes, etc.
 
 
Atualmente, a fase de investimento no processo de implementação da fábrica está praticamente terminada. Tendo sido fundamental para a concretização deste projeto o apoio concedido pelo Compete 2020. Pois, o mesmo constitui um estímulo importante para a inovação produtiva em regiões onde é extremamente complicado fixar pessoas qualificadas e atrair novas empresas.
 
 
 
2. Apoio do COMPETE 2020 
 
Apoiado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à Inovação Produtiva, o projeto “NOGAM - Nova Unidade Industrial” envolveu um investimento elegível de cerca de 6,9 milhões de euros, correspondendo a um incentivo FEDER de 1,7 milhões de euros.
 
 
3. Links
 
Nogam Website 

10/09/2021 , Por Cátia Silva Pinto
COMPETE 2020