Economia Verde

As alterações climáticas constituem o maior desafio do nosso tempo, mas também uma oportunidade para construirmos um novo modelo económico.

O Pacto Ecológico Europeu estabeleceu o roteiro para esta mudança transformadora. Os 27 Estados-Membros comprometeram-se a fazer da UE o primeiro continente com impacto neutro no clima até 2050. Para tal, assumiram o compromisso de reduzir as emissões em, pelo menos, 55% até 2030, em comparação com os níveis de 1990. 

A nossa transição para uma mobilidade mais ecológica proporcionará transportes limpos, acessíveis e a preços comportáveis, mesmo nas zonas mais remotas.

A natureza é um aliado importante na luta contra as alterações climáticas. Restaurar a natureza e permitir que a biodiversidade volte a prosperar é uma solução rápida e barata para absorver e armazenar carbono.

Por isso, a Comissão propõe a recuperação das florestas, dos solos, das zonas húmidas e das turfeiras da Europa, o que aumentará a absorção de CO2 e tornará o ambiente mais resiliente às alterações climáticas.

Uma gestão circular e sustentável destes recursos permitirá:

  • > melhorar as nossas condições de vida
  • > manter um ambiente saudável

  • > criar empregos de qualidade

  • > proporcionar recursos energéticos sustentáveis

 

Economia Verde - um imperativo | Projetos que fazem a diferença

Num contexto em que a pandemia nos lembrou a nossa fragilidade humana no planeta em que habitamos  e em que a atividade económica global teve uma quebra de 50% em setores cruciais  como a indústria automóvel, o transporte aéreo e o turismo, a Comissão Europeia coloca a tónica num plano de recuperação verde, com destaque para as energias renováveis, a mobilidade limpa e a economia circular.

De acordo com o World Economic Forum, a recuperação da crise do coronavírus é uma oportunidade para se redesenhar uma economia sustentável e inclusiva, revitalizar a indústria, preservar sistemas vitais de biodiversidade e combater as mudanças climáticas.

Existe apenas um planeta Terra mas, em 2050, o mundo consumirá como se existissem três. O consumo mundial de matérias-primas, como a biomassa, os combustíveis fósseis, os metais e os minerais, deverá duplicar nos próximos quarenta anos, prevendo-se que a produção anual de resíduos aumente 70% até 2050.

Para as empresas, o facto de colaborar na criação do quadro estratégico para sustentabilidade dos produtos abrirá novas oportunidades na UE e no resto do mundo. Esta transição, gradual mas irreversível, em direção a um sistema económico sustentável, constitui um elemento indispensável da nova estratégia industrial da UE.

A economia circular é uma nova forma de pensar o nosso futuro e como nos relacionamos com o planeta, dissociando o crescimento econômico e o bem-estar humano do consumo crescente de novos recursos. Para isso, materiais circulam em todas as suas potencialidades como nutrientes técnicos ou biológicos em sistemas industriais integrados e regenerativos.

O desenho intencional de novos produtos e processos possibilita o aproveitamento inteligente dos recursos que já se encontram em uso no processo produtivo. Os resíduos tornam-se nutrientes em novos processos – e produtos ou materiais podem ser reparados, reutilizados, atualizados ou reinseridos em novos ciclos com a mesma qualidade ou superior, ao invés de serem descartados.

Nesta otica de Economia Circular seleccionámos projetos, apoiados pelo Compete 2020, cujo desenho intencional de novos produtos e processos possibilita o aproveitamento inteligente dos recursos que já se encontram em uso no processo produtivo. Os resíduos tornam-se nutrientes em novos processos – e produtos ou materiais podem ser reparados, reutilizados, atualizados ou reinseridos em novos ciclos com a mesma qualidade ou superior, ao invés de serem descartados.

 

Projetos Selecionados

PAVENERGY - Pavement Energy Harvesting Solutions


 

Universidade de Coimbra cria sistema gerador de energia nos pavimentos. O objetivo foi desenvolver e implementar um sistema inserido no pavimento para a produção de energia elétrica, através do movimento dos veículos.

Saiba mais em:

https://www.compete2020.gov.pt/newsletter/detalhe/16676-Entrevista-Coordenador-Pavenergy-NL31918092021

https://pavenergy.dec.uc.pt

 

Clean4G: novos processos de conversão de emissões de CO2 um combustível limpo


 

Conversão de CO2 do processo de produção de cimento num combustível gasoso limpo para utilização no mesmo processo - circularidade no processo de emissões de cimento.

Saiba mais em:

https://www.compete2020.gov.pt/newsletter/detalhe/38323-Clean4G-NL309-01072021

 

H2SE - Hidrogénio de Sustentabilidade Energética


 

O projeto H2SE visou responder à necessidade de promoção da investigação, inovação e utilização do Hidrogénio como fonte alternativa de energia limpa, aplicada à mobilidade, à indústria e aos bens de consumo, contribuindo assim para a divulgação da Economia do Hidrogénio na Sociedade Portuguesa.

Saiba mais em:

https://www.compete2020.gov.pt/newsletter/detalhe/16230-H2SE-NL299-23042021

H2-UI4PT: H2 Usage Improvement for Public Transport


O projeto tem como principal objetivo a investigação e desenvolvimento de novas soluções tecnológicas que permitam a hibridização de um autocarro urbano elétrico com uma nova solução fuel-cell direcionado a percursos de média distância.

Saiba mais em:

https://www.compete2020.gov.pt/newsletter/detalhe/Newsletter_H2_UI4PT_39980

 

Shellution


 

O projeto visa a incorporação de resíduo de casca de ovo (que se não aproveitado acaba no aterro) na indústria de produção de tintas e papel substituindo o carbonato de cálcio (C.C) de origem geológica pelo biogénico, que permitirá conseguir C.C com um custo energético inferior, pois os montantes associados à extração e moagem são fortemente reduzidos no caso da casca de ovo. Contudo, o principal foco da investigação industrial incide sobre o aproveitamento das características sui generis da casca de ovo, como seja por exemplo, a sua morfologia, conferindo a este filler características que são insuperáveis em processos naturais/sintético, incrementando propriedades aos produtos finais.

Saiba mais em:

https://www.compete2020.gov.pt/newsletter/detalhe/Proj33657_SHELLUTION

ECOGRES + NG


 

O projeto visou o desenvolvimento de uma pasta corada de grés para louça de mesa a partir de resíduos e subprodutos industriais, valorizando não só os da GRESTEL mas também de empresas de outros sectores.

Saiba mais em:

https://www.compete2020.gov.pt/newsletter/detalhe/Proj-33853-ECOGRES-Entrevista-NL253-21052020

EntoValor


 

O objetivo principal é contribuir para a transição para uma economia circular no sector agroalimentar, em que o valor dos produtos, materiais e recursos se mantenha na cadeia de valor o máximo de tempo possível e a produção de resíduos se reduza ao mínimo.

Saiba mais em:

https://www.compete2020.gov.pt/newsletter/detalhe/NL_Entovalor_17675_entrevista

RiceHUSK+


 

O objetivo do “RiceHUSK+” está centrado no desenvolvimento de elementos pré-fabricados, para a indústria da construção, produzidos a partir de materiais compósitos de base cimentícia inovadores e de elevado valor funcional, integrando na sua constituição a casca do arroz, um subproduto agroindustrial.

Saiba mais em:

https://www.compete2020.gov.pt/newsletter/detalhe/Newsletter_RiceHusk+_039577

Better Plastics


 

Desenvolver os meios tecnológicos e científicos necessários para promover uma diminuição da produção e do consumo de produtos plásticos descartáveis, uma produção mais sustentável (produtos biodegradáveis e recicláveis), aumentar o potencial de reciclagem e desenvolver alternativas aos produtos oxo-degradáveis.

O projeto pretende mobilizar o setor privado, juntamente com as autoridades nacionais, as universidades e os cidadãos. Através de esforços concertados, este projeto pretende transformar os desafios em oportunidades e dar o exemplo para uma ação decisiva a nível setorial em Portugal.

Saiba mais em:

https://www.compete2020.gov.pt/newsletter/detalhe/NL_Better_Plastics_46091

28/12/2021 , Por Célia Pinto
Portugal 2020
COMPETE 2020
União Europeia